BIOGRAFIA

     Maíra Salles nasceu e se iniciou como intérprete em Brasília DF. Nascida em uma família de músicos, esteve envolvida desde a infância com vários grupos e estilos musicais, do erudito ao popular.

     

      Em 2010 fixou residência na cidade de Natal RN, e desde o ano de 2015 a artista reside na cidade do Rio de Janeiro RJ, interpretando e compondo qualidades da Música Brasileira em uma excitante mistura de Samba de Raiz, Afro Samba, Samba Jazz e Bossa Nova.

       Ainda em 2010 participou do Projeto Sambossamba, liderado pelo músico Paulo Sarkis. Em 2011, ganhou o Prêmio de Melhor Intérprete em um dos festivais mais importantes do estado do Rio Grande do Norte, o VI MPBeco, sendo a canção defendida Bar das Bandeiras, dos compositores Wigder Valle e Zé Gaudêncio, classificada em Terceiro Lugar.

 

    Neste mesmo ano fez show de abertura para Paulinho da Viola com a Orquestra Catita Choro e Gafieira convidada pelo maestro Neemias Lopes no evento Agosto da Alegria, promovido pelo governo do Estado; e acompanhada pelo instrumentista Diogo Guanabara, abriu também o show de Oswaldo Montenegro no Teatro Riachuelo, ambos em Natal RN.

         Em 2012 ganhou o prêmio de Melhor Música no VII Festival MPBeco com uma composição própria feita em parceria com o instrumentista Ricardo Baya, A Rezadeira. Ainda neste ano foi convidada pelo Produtor Cultural Anderson Foca a participar da I Virada Cultural de Natal em um dos principais pontos do evento, no Palco Paulo Ubarana, sendo apresentada como Artista Revelação do Ano.

        Na cena musical atua com o show Na Voz do Samba nos principais espaços culturais da cidade, uma apresentação com performance e repertório diferenciados e muito elogiados, fazendo presente algumas das obras que fazem diferença na vida e carreira dessa artista. Um trabalho que mistura o samba de raiz com uma pegada de jazz, e que resultou no demo Maíra Salles - Na Voz do Samba - AO VIVO (2012), produzido de maneira independente.

      No ano de 2013 cedeu entrevista para a Rádio FM Universitária no quadro Música Potiguar Brasileira; convidada pela apresentadora Lucinha Lira, participou do programa “O Canto da Lira”, na SIM TV, filiada à Rede TV; e também foi entrevistada pela TV Câmara de Natal para o quadro Momento Cultural, dentre outras entrevistas e apresentações.

 

          Estreou seu primeiro show solo Motumbá no teatro da Casa da Ribeira, em Natal RN, e com casa cheia conquistou ainda mais admiração na cena musical da cidade. Dividiu o palco com o diretor musical Ricardo Baya (guitarra, violão e viola), Júnior Primata (contrabaixo elétrico) e Ayrton Guimarães (contrabaixo acústico), Kleber Moreira (percussão), Darlan Marley (bateria), Eduardo Taufic (piano), Zé Hilton (acordeon), e com o trio de sopros Gilberto Cabral (trombone de vara), João Paulo (clarineta) e Silas Henrique (fluguelhorn).

 

 

       Ainda em 2013 foi uma das artistas selecionadas para fazer parte da programação do maior festival de música do Nordeste, o Fest Bossa & Jazz, em Pipa RN, sendo considerada o Novo Talento Potiguar.

          Recebeu também a indicação ao Prêmio Hangar de Música na categoria Revelação do Ano.

 

      No ano de 2014, a artista, também se apresentou em outras cidades como Belém PA; em Currais Novos RN, fazendo parte da programação do Festival Seridó Samba & Jazz, sempre colecionando boas e valiosas críticas.

    

        Em 2015, Maíra Salles comemorou em grande estilo o Prêmio de Melhor Música (1º Lugar) no VIII MPBeco com o Show Prêmio do festival. Certamente, mais um belíssimo e inesquecível momento de sua carreira. Uma apresentação musical de qualidade transparente, emocionante e cativante, com sofisticada Música Brasileira.

     

     Também neste ano, Maíra Salles foi convidada pelo produtor cultural potiguar Anderson Foca a fazer parte do Projeto Incubadora 2014/15 pelo DoSol, gravando e lançando o primeiro disco de sua autoria, Areté (2015), patrocinado pelo Rumos, Itaú Cultural. 

        O primeiro lançamento do Areté (2015) aconteceu em abril de 2015 na cidade de São Paulo SP, no teatro do Itaú Cultural.

 

          A noite foi de muita música e casa cheia, festas e comemorações. 

          Ainda nesse ano de 2015, Maíra Salles cedeu entrevista mais uma vez à Rádio Universitária FM para falar sobre seu novo álbum no quadro Música Potiguar Brasileira, também cedeu entrevista à Rádio Globo, e a convite do parceiro SESC/RN, se apresentou num belíssimo evento com a presença do governador do estado e prefeito de Natal junto à uma comitiva da Alemanha com um dos seus mais elogiados trabalhos, o show Fulô do Cerrado, um repertório feito para representar a música barsileira nordestina e seus diversos seguimentos.

     A cantora e compositora também se apresentou em entrevista ao programa Vida Boa da Rede TV, junto à apresentadora Anne Marjorie; e foi entrevistada pelo programa Alta Frequência, da TV Assembléia/RN.

         Maíra Salles também foi uma das artistas escolhidas para fazer parte da programação da CIENTEC (2015), dividindo o placo com o diretor musical e guitarrista Jubileu Filho, com o contrabaixista Erick Firmino, com o percussionista Kleber Moreira e com o baterista Darlan Marley. Um momento especial.

       Maíra Salles, nesse ano de 2015, ainda teve muito o que comemorar. Com cinco indicações entre os maiores festivais de música do estado do Rio Grande do Norte, a cantora e compositora agradece o reconhecimento pelo seu trabalho.

         Indicada duas vezes no Prêmio Hangar de Música desse ano de 2015, a maior e mais bela premiação do Nordeste, como Intérprete do Ano e Disco do Ano (Areté 2015), Maíra Salles levou o prêmio de Intérprete do Ano dividindo a lista com artistas potiguares já renomados.

    

        Maíra Salles também teve duas canções autorais do seu mais novo álbum Areté (2015) concorrentes no Festival Música Potiguar Brasileira da Universitária FM 88,9, as músicas Letra e Canção (Maíra Salles / Ricardo Baya) e Vida Ligeira (Maíra Salles / Ricardo Baya); e indicada mais uma vez ao prêmio de Melhor Cantora de 2015 do estado do Rio Grande do Norte pelo Troféu Cultura. 

©2018 Por Maíra Salles